Regulamento

Programa INTERREG V-A Espanha – Portugal (POCTEC) 2014-2020, FEDER, no âmbito do Projeto 0068_REDTI_4_E

Preâmbulo

O TAEJO Internacional São Mamede Adventure Trail é um evento de corrida por trilhos transfronteiriço, com duas etapas, disputado nas serras de São Mamede (Portugal) e Fria (Espanha), conforme o normativo que a seguir se define.

  1. Condições gerais
  2. Idade de participação na prova TAEJO INTERNACIONAL SÃO MAMEDE ADVENTURE TRAIL – Prova destinada apenas a atletas maiores de 18 anos.
  3. A prova é realizada em equipa de dois (2) ou três (3) elementos, e em casos excecionais de famílias, devidamente comprovadas até cinco (5) elementos, podendo os atletas participar em representação de um clube/equipa;
  4. É importante ter a condição física adequada às características desta prova, onde estão presentes em simultâneo: elevada quilometragem (+/- 25km a -/-30km), longa duração de tempo para a sua conclusão, terreno montanhoso, com trilhos técnicos, e a autossuficiência;
  5. O terreno onde se desenrola a prova está sujeito a alterações climatéricas repentinas, pelo que os atletas poderão estar expostos a situações meteorológicas tão diferentes como: calor, frio, vento forte, nevoeiro denso e precipitação intensa (dependendo de cada etapa);
  6. É fundamental que os atletas tenham a noção de autogestão do esforço, quer físico, quer mental, perante situações adversas extremas às quais poderá ficar exposto, sem que seja possível ajuda/resgate imediato. É fundamental o atleta saber como atuar em caso de pequenas lesões, indisposições gástricas, entre outras situações normais, decorrentes de atividades em montanha;
  7. Possibilidade de ajuda externa e o apoio aos atletas por elementos externos à organização é apenas permitido nos postos de abastecimento assinalados antes de cada etapa, devendo os atletas, de acordo com o ponto c., ter noção das suas necessidades durante a prova, assim como a sua capacidade de resolução dos problemas perante situações inesperadas;
  8. Colocação do dorsal é pessoal e intransmissível. O dorsal do atleta deve estar em local facilmente visível aos elementos da organização e demais entidades que apoiam e/ou colaboram com a mesma. Em caso de desistência o atleta deverá entregar o dorsal à organização no secretariado da prova, comunicando dessa forma a sua desistência;
  9. A conduta desportiva e o comportamento inadequado, o recurso de linguagem ofensiva, a agressão verbal ou de qualquer outra espécie, será comunicado às autoridades sempre que se justifique;
  10. Ao inscrever-se na prova o atleta aceita todas as normas constantes do presente regulamento.
  • Prova
    • Apresentação da prova / organização SÃO MAMEDE ADVENTURE TRAIL é uma organização da Câmara Municipal de Portalegre com a gestão técnica do Atletismo Clube de Portalegre;
    •  A prova desenrola-se em duas (2) etapas, com inscrição necessária em cada umas das etapas;
    • As etapas são independentes uma da outra, podendo os participantes participar apenas em uma ou em ambasr;
    •  Os percursos passarão por alguns dos mais emblemáticos locais do Parque Natural da Serra de São Mamede (Portugal) e Sierra Fria (Espanha);
    • As etapas serão em autonomia total e o trajeto fornecido em ficheiro para ser guiado por GPS. Isto quer dizer que o percurso não estará balizado e não haverá PAC – Postos de Apoio e Controlo;
    • O GPS para além de funcionar como guia no terreno, será através dele que se efetuará a confirmação dos percursos efetuados. A não entrega do equipamento no final da prova para descarregar o track do trajeto efetuado motiva à desclassificação;
    • Não existe tempo limite para cada etapa. Poderão, contudo, ser criadas barreiras horárias que inviabilizarão a continuação dos atletas ao longo do percurso, por uma questão de segurança dos mesmos. Se a organização o entender e a segurança dos participantes o justificar, poderão ser alterados os percursos previamente estabelecidos para os diversos eventos;
    • Programa:

Domingo 15 de novembro de 2020 – (25 Km) – São Julião – Sierra Fria

07h00 – Abertura do secretariado/ levantamento de dorsais na ex-Escola do Montinho em São Julião;

07h50 – Briefing do diretor do evento;

08h00 – Início das provas para atletas com HANDICAP;

09h00 – Início oficial da prova;

12h00 – Chegada prevista da 1.ª Equipa;

16h00 – Final da Prova;

  1. A metodologia de controlo de tempos é realizada pela organização com possibilidade de controlo em vários pontos. O(s) controlo(s) intermédio(s) estará/ão em lugar a definir pela organização;
    1. Os locais de apoio e abastecimento serão identificados no track GPS ou mapa, sendo que a prova se realiza em autonomia, sendo fundamental que cada atleta se faça acompanhar de uma quantidade mínima de calorias e líquidos para cada etapa, de forma a satisfazer as suas necessidades;
    1. Material Obrigatório:

• Aparelho que registe o percurso através de GPS (GPS, relógio ou smartphone);

• Reserva alimentar;

• Reservatório para líquidos com pelo menos 1L de capacidade;

• Manta de sobrevivência;

• Apito;

• Impermeável;

• Telemóvel;

• Dispositivo que permita visualizar o percurso através de coordenadas – GPS ou outro que tenha esta funcionalidade;

  • Na passagem de locais com tráfego rodoviário os participantes devem cumprir as regras de trânsito nas estradas de uso público, devendo ainda respeitar o meio envolvente ao percurso, tendo consciência de que o percurso pode atravessar propriedade privada sob pena de terem de assumir potenciais danos e indemnizações resultantes do seu desrespeito;
    • As Penalizações/desqualificações são aplicadas quando os atletas não cumprirem este regulamento e tenham uma conduta desportiva ou ambiental não adequadas. Todos os participantes devem ter em atenção que parte do percurso se desenrola dentro do Parque Natural da Serra de São Mamede, não devendo deixar lixo no chão ou de qualquer outra forma atentar contra a natureza/ambiente;
    • A inscrição na prova implicará total aceitação do presente regulamento. Os participantes serão responsáveis por todas as ações suscetíveis de produzir danos materiais, morais, ou de qualquer outra natureza, a si mesmos e/ou a terceiros. A organização declina toda a responsabilidade, em caso de acidente, de negligência, ou de roubo de objetos e/ou valores, de cada participante. Fica a organização, bem como quaisquer dos envolvidos na organização da prova, isentos de responsabilidade resultante dos atos acima descritos;
    • A organização contratualiza os seguros obrigatórios por lei para a realização deste tipo de provas;
  • Inscrições
    • As inscrições são limitadas a 50 equipas de dois (2) ou três (3) elementos ou em casos excecionais de famílias, devidamente comprovadas até cinco (5) elementos;
    • As inscrições são abertas a elementos de qualquer sexo desde que com idade superior a 18 anos.
  • Percurso
    • O percurso do SÃO MAMEDE ADVENTURE TRAIL é composto em cerca de 90% da sua extensão, por caminhos, trilhos e estradas florestais não asfaltadas;
    • O percurso da prova não está marcado no terreno, utiliza vias públicas, quer seja em estrada ou fora de estrada, atravessa aldeias e vilas, e utiliza serventias que atravessam propriedades privadas. O percurso não está fechado para a prova. Por conseguinte, os atletas devem ter em consideração a possibilidade de haver viaturas, pessoas e/ou animais a circular num e noutro sentido, no percurso da prova;
    • Antes do início da prova a Organização fornece os tracks GPS;
    • O GPS (GPS, relógio ou smartphone) é o único meio de orientação de que os atletas dispõem para seguir o percurso da prova;
    • Os concorrentes são os únicos responsáveis pelo bom funcionamento do respetivo GPS, pela preservação dos dados nele carregados, e, sobretudo, por garantirem que o GPS está sempre com eles e a registar todo o percurso efetuado, no entanto a organização disponibiliza-se para ajudar em qualquer dúvida que exista;
    • É obrigatório cumprir o percurso da prova, estando previstas sanções para quem o não cumpra. Considera-se o percurso da prova um corredor imaginário com 100 metros de largura, contendo a linha GPS (track) do percurso da prova. As sanções aplicáveis correspondem à adição de 10 minutos ao tempo efetivamente gasto pela equipa na etapa, por cada quilómetro do percurso não cumprido. Para este efeito, por qualquer fração de quilómetro incumprida é considerada um quilómetro inteiro;
    • A linha no GPS com o percurso da prova pode conter falhas de continuidade; nestes casos consideram-se boas todas as opções tomadas pelos Concorrentes entre os pontos limites da linha interrompida;
    • A linha no GPS com o percurso da prova pode apresentar desvios relativamente ao caminho marcado no terreno, pelo que os Concorrentes devem seguir o caminho marcado no terreno mesmo que isso não corresponda exatamente à linha no GPS, desde que os desvios não impliquem extravasar o corredor de 100 metros referido no ponto f precedente;
    • O percurso da prova atravessa muitas estradas e cruza-as na perpendicular, o que constitui um perigo acrescido para os Concorrentes, quer pela falta de visibilidade, quer pela velocidade dos veículos que nelas circulam, pelo que é obrigatória a paragem durante, pelo menos 5 segundos, em todos os cruzamentos;
    • Uma equipa pode abandonar o percurso da prova sempre que quiser não sofrendo qualquer penalização, desde que volte a ele no mesmo ponto que o abandonou ou num ponto precedente àquele (exemplo para ir ao WC ou à fonte);
    • A prova é disputada em regime de autossuficiência total, não podendo as equipas beneficiar de qualquer ajuda exterior durante o percurso (exceto nos pontos de apoio previamente estabelecidos pela Organização), sob pena de ser excluído da prova;
    • São permitidas as ações de auxílio entre os atletas das equipas e entre equipas, solicitada ou não pelos atletas em prova, no âmbito da orientação no terreno e operacionalidade dos aparelhos GPS;
    • A Organização instala ao longo do percurso Controlos de Passagem (CP). A falta de passagem por um CP implica uma penalização de 60 minutos. Pode também o CP ter hora de fecho, sendo que nesse caso as equipas são obrigadas a interromper a respetiva etapa.
  • Classificações
    • A prova é disputada em simultâneo por todos as equipas e tem um caráter não competitivo, no entanto, serão atribuídos tempos às chegadas e atribuídas lembranças às primeiras equipas, sendo o objetivo a realização da prova no menor tempo possível;
    • Não existem escalões, e todos as equipas competem numa única categoria, sendo diferenciado entre equipa Masculina, Feminina e Mista;
    • As desigualdades naturais de capacidade física entre os vários atletas que constituem a equipa (decorrentes da idade e do género) são corrigidas através da antecipação cronológica da partida de algumas equipas em relação aos demais, nas várias etapas, isto é denominado como HANDICAP;
    • O quantum da antecipação é uma percentagem do tempo de duração atribuído pela Organização à etapa em causa, consoante o tempo previsto do atleta mais rápido;
    • As percentagens são:
      • Listagem do HANDICAP atribuído ao género e escalão (exemplo para a primeira etapa)[1]:
        • SENM/SENF =>18 =<39 – 0%/4% – 0min/10min
        • M40/F40 =>41 =<45 – 2%/6% – 5min/13min
        • M45/F45 =>46 =<50 – 5%/8% – 8min/16min
        • M50/F50 =>51 =<55 – 8%/10% – 12min/20min
        • M55/F55 =>56 =<90 – 10%/13% – 15min/25min
      • Se aplicável, as percentagens indicadas no número anterior são cumulativas entre dois elementos da equipa;
      • De forma e exemplificar temos 4 equipas constituídas por:
        • Equipa 1 (1 SENM + M45);
        • Equipa 2 (1 SENM + 1SENM);
        • Equipa 3 (1 SENF + 1 F55);
        • Equipa 4 (1 M40+ 1 F55 + M50);
      • Das equipas anteriormente descritas com base no HANDICAP atribuído pela organização à 1.ª etapa temos a seguinte bonificação e hora de partida:
        • Equipa 1 (1 SENM + M45) – 8min – 08H52;
        • Equipa 2 (1 SENM + 1SENM) – 0min – 09H00;
        • Equipa 3 (1 SENF + 1 F55) – 35min – 08H25;
        • Equipa 4 (1 M40+ 1 F55 + M50) – 37min – 08H23;
    • As equipas que beneficiem de um handicap, iniciam a etapa antes da Hora Oficial de Partida, sendo publicada antecipadamente a listagem de partida por parte da Organização;
    • Para efeitos de apuramento das classificações, os tempos são registados e contados em horas, minutos e segundos;
    • Em qualquer dos casos a classificação é ordenada do melhor para o pior tempo alcançado – somadas ao tempo obtido pelas equipas as devidas penalizações, se as houver.
  • Prémios
    • As 3 primeiras equipas (Masculina / Feminina e Mista) da Classificação por etapa, apurados nos termos do artigo anterior, são atribuídos os seguintes prémios:
      • 1.º – Troféu + Inscrição UTSM;
      • 2.º – Troféu + Inscrição SÃO MAMEDE ADVENTURE TRAIL 2021;
      • 3.º – Troféu + Brinde.
  • Direitos de imagem
    • A aceitação do presente regulamento traduz, obrigatoriamente, que o praticante autoriza a organização da prova à gravação total ou parcial da sua participação na mesma;
    • Pressupõe também a sua concordância para que a organização possa utilizar a sua imagem para a promoção e difusão da prova em todas as suas formas (toda a comunicação social, internet, fotografia, vídeo, cartazes, etc.) e cede todos os direitos à sua exploração comercial e publicitaria que considere oportuno executar, sem direito, por parte do atleta, a receber qualquer compensação económica ou em espécies.
  • Casos omissos

Serão resolvidos pela Organização tendo em conta o espírito e especificidade do evento em conformidade, se aplicáveis com os Regulamentos técnicos oficiais de Atletismo.

Portalegre, 11 de dezembro de 2019.

(Editado em 23/10/2020.)

Atletismo Clube de Portalegre

[1] Com base nas tabelas da WMA/IAAF para bonificação em provas de estrada (maratona) aos escalões e grupos etários, mas com adaptação aos escalões e provas de Trail.

Programa INTERREG V-A Espanha – Portugal (POCTEC) 2014-2020, FEDER, no âmbito do Projeto 0068_REDTI_4_E
Create your website with WordPress.com
Iniciar
%d bloggers like this: